Logística no E-commerce

A migração do varejo offline para o online é uma tendência que vem aumentando a cada ano e muitos empreendedores veem no e-commerce uma oportunidade para ampliar suas atividades comerciais.

A dinâmica desse mercado exige agilidade para atender a demanda e manter a satisfação do cliente em meio a tantas variáveis que interferem diretamente na questão da entrega. A complexidade do sistema de fretes precisa levar em conta a redução de custos com eficiência operacional.

1) Entrega Reversa com horário agendado

Agendamento de entrega é um assunto muito importante para maximizar conveniência para o consumidor final e  garantir sucesso na primeira tentativa. As transportadoras estão criando janelas de entrega e coleta entre 1 e 4 horas para o consumidor agendar o serviço não só num dia especifico mas também na hora certa.

2) Entregas em um “safe place”

O serviço de entrega em lugares pré-indicados no endereço de destino é uma questão de conveniência e segurança para o consumidor. As especificações do tipo “Deixar com vizinho X”, “Depositar com porteiro”, “Deixar na empresa X” ou “Não deixar com o porteiro” vêm seguidas de uma imagem do local onde foi depositado o pacote

3) Entregas em “pontos de coleta”

Além da entrega no domicilio, as transportadoras oferecem entregas em lugares onde o consumidor consegue retirar o pacote, como os “Lockers” da transportadora, lockers de empresas especializadas em lockers, por exemplo a Intelipost, lojas próprias e lojas parceiros.

4) Aplicativo da transportadora para consumidores

As transportadoras refizeram os apps para oferecer mais conveniência para o consumidor, que consegue consultar qualquer tipo de informação pelo aplicativo, como status do pedido, agendar entrega, solicitar reversa, avisos em tempo real.

5) “In flight” modificações

As transportadoras começaram a oferecer a opção in “flight” , recurso que permite modificar o fluxo de entrega durante a mesma. O próprio consumidor consegue modificar o endereço de entrega, o agendamento de entrega, devolução, etc. O ponto crucial dessa conveniência para o consumidor é que não há envolvimento da loja, assim não há custo a mais para ele.

6) OmniChannel

Todas as lojas com presença física estão expandindo a sua operação para canais virtuais, onde o consumidor pode explorar todas as maneiras de interação. Para algumas lojas, essa tendência já representa 35% da receita total, sendo a “Click & Collect” a forma mais comum, seguido do “Return in-store”.

7) Cross Border

Essa tendência se refere a formas de entrega que ultrapassam fronteiras, como a Inbound e Oubound. A primeira é uma gestão de entrada com fluxo concentrado nos fornecedores, enquanto a segunda se volta para o uma única fonte de entrega. As duas formas estão crescendo fortemente. O maior facilitador dessa tendência são transportadoras e softwares que conseguem reduzir a complexidade tributaria na importação e exportação. O aumento em volume baixa o custo de transporte que, em torno, aumenta a quantidade de entregas cross-border.

Fonte: http://ecommercenews.com.br/noticias/tendencias/executivo-revela-tendencias-da-logistica-que-podem-aumentar-as-vendas-no-e-commerce

Os comentários estão encerrados.